Placa de Som Profissional – Será Que é Mesmo?

placa de som profissional

Placa de som profissional significa “placa de som que resolve seus problemas” ou quase isso. Vamos descobrir o que pode estar por trás de uma placa de som profissional e se essa abordagem é a melhor ao se escolher a placa de som ou interface de áudio ideal. Vamos lá?

Quando iniciei a construção do meu primeiro Home Studio em 1997, foi bastante complicado encontrar opções acessíveis e que dessem bons resultados. Tive que optar pelo “básico, porém funcional” para não deixar de montar o meu estúdio, e poder gravar todas as minhas composições em formato de álbum musical.

Já se passaram mais de duas décadas, e o mercado de equipamentos para produção musical doméstica, também, evoluiu muito. Nos anos 90, só havia placas de som, até porque o USB só apareceu no final daquela década. Com o surgimento das Interfaces de Áudio USB, tanto a compatibilidade quanto a praticidade foram fatores marcantes para os usuários desse tipo de acessório de gravação.

Mesmo assim, nem tudo são flores. Quando as primeiras interfaces de áudio começaram a ganhar o mercado, logo começaram a surgir as primeiras reclamações em fóruns online. A maioria das reclamações estavam relacionadas a incompatibilidade dos drivers com as novas versões do Windows. Também havia problemas com as kexts para o MacOS, mas esse sempre foi um público menor.

Se você fizer algumas pesquisas, vai perceber que muitos usuários de hardware de áudio estão abandonando seus equipamentos por falta de suporte do sistema operacional. Talvez essa seja uma forma da indústria se renovar, colocando novos modelos no mercado para substituir o bom equipamento que já ficou obsoleto. Pelo menos, seu software.

Contudo, ao longo dos anos, eu consegui ótimos resultados usando equipamentos populares, apenas usando uma lógica onde os equipamentos físicos são reduzidos ao número mínimo, sendo substituídos por softwares de qualidade. Esse tipo de abordagem pode cortar custos, além de permitir que muitos artistas de talento montem seus próprios Home Studios.

Com o equipamento popular, do tipo Sound Blaster, que funciona em qualquer lugar, você pode esperar um suporte muito maior para o seu hardware, além de uma compatibilidade sem igual com qualquer tipo de computador. Em matéria de Home Studio, em 99% dos casos, uma interface de áudio, tipo “arroz com feijão”, pode ser a solução para todos os seus problemas. Um equipamento POP traz muito mais paz para o seu dia a dia como produtor de áudio.

Placas de Som com Problemas Crônicos

placa de som mia small

Quando você pensa em uma “placa de som profissional”, torna-se quase impossível imaginar que esse equipamento possa conter qualquer problema ou incompatibilidade, até porque, estamos falando de algo que é visto como “profissional”. Não é mesmo?

O fato é que existem pequenos fabricantes de hardware, muito específicos, que exploram projetos de equipamentos com as mais diversas características e aplicações. Por exemplo: a empresa X possui um projeto de interface de áudio com 8 entradas, conversor AD/DA de 24 bits / 96 kHz e muito mais. Depois, dão um nome para esse equipamento e começam a vender isso para o mercado consumidor de interfaces de áudio, ou seja, usuários finais leigos. Espera-se que esse equipamento funcione perfeitamente, logo após plugá-lo na porta USB, como de costume. Na maioria das vezes, o equipamento funciona muito bem, mas em outras, nem tanto.

Por que isso acontece?

O fato é que a desenvolvedora do equipamento pode não ter verba suficiente para homologar seu equipamento nas milhares de combinações de computadores possíveis. Mesmo notebooks, não são todos iguais, podem variar a sua tecnologia de um ano para outro. Por exemplo, a Apple fabrica o MacOS, o hardware e todos os acessórios compatíveis. Desse modo, eles só vendem produtos que funcionam, porque foram previamente homologados de fábrica. Quando surge algum bug, eles conseguem resolver rápido, porque esse é um ecossistema tecnológico pequeno e controlado.

Pela mesma razão, existe até hoje uma divergência entre a qualidade do sistema operacional Windows. Alguns amam, outros, nem tanto. Se você rodar o Windows no hardware homologado pela Microsoft, as coisas devem funcionar muito melhor.

Agora, observe que tanto a Apple quanto a Microsoft investem bilhões de dólares no desenvolvimento de seus produtos. Atualmente, existe uma equipe dedicada a testar, usando máquinas virtuais, milhares de combinações de hardware com o Windows 10 em busca de possíveis bugs.

Voltando ao mundo dos desenvolvedores pequenos que investem apenas alguns milhões de dólares… Pode parecer estranho, mas existem muitas placas de áudio com problemas crônicos de desempenho, até mesmo “ruídos” e problemas durante a gravação podem ser experimentados com certas placas de som ou interfaces de áudio. Um driver errado e o equipamento pára de gravar, passando a só executar o áudio.

Posso contar uma história que ilustra isso muito bem… Em 2003, estive prestando consultoria presencial para a montagem de um estúdio musical, todo baseado nos conceitos aplicados no nosso curso. O orçamento para a montagem era bem alto, então o que passou pela cabeça do investidor é que eles deveriam adquirir tudo o que havia de mais moderno e “profissional” disponível no mercado daquela época. O que aconteceu é que tivemos que trocar a poderosa interface de áudio chamada “Echo – Darla”, porque ela não estava se dando bem com o hardware do PC no qual estava instalada. Era algo profissional, mas que funcionava apenas em uma estreita gama de computadores e sistemas operacionais.

Testamos a Placa de Som em Vários Computadores

placa de som layla small

Agora, provavelmente, você tendo um conhecimento básico em informática, pelo que eu também era responsável, pode pensar que o problema estava no computador e não na interface de áudio. Como fizemos vários testes, inclusive testamos essa pérola em mais 4 computadores, com chipsets dos mais variados, posso garantir que o problema estava na interface de áudio.

A solução: substituímos a poderosa placa de som profissional por um modelo popular, a famosa Sound Blaster Audigy.

Depois o investidor devolveu a tal “placa de som profissional” e foi feliz para sempre.

Em resumo, nem sempre o que é rotulado profissional vai funcionar de primeira com o equipamento que você possui. Você pode precisar colocar esse equipamento à prova para ver como se comporta com a sua configuração.

Interfaces de Áudio Seguras

Hoje, existem diversos tipos de interfaces de áudio USB ou mesmo modelos espetados na placa mãe, em uma porta PCIe. Ainda existem hardwares usados, como a M-Audio Delta 1010, sendo vendidos barato (não recomendo hardware usado), que era extremamente compatível com a maioria dos computadores, tanto de mesa, quanto notebooks.

Vejo duas opções interessantes para 2020 e além, que são:

Focusrite Scarlett Solo

interface de audio focusrite scarlett solo 2nd compacta gravacao de vozUma interface que acompanha o software Ableton Live Lite, 3 meses de Splice, roda muito bem diversos plugins em tempo real com baixa latência. Trabalha com o conector USB Type-C, mais moderno. Esse modelo solo possui uma única porta XLR, porém conta com phantom power de 48v, tornando possível alimentar um microfone condensador de verdade.

Essa é uma interface de áudio famosa no mercado, porém não é baratinha.

Behringer UMC202 – U-Phoria

behringer u phoria umc202Por outro lado, a Behringer traz a UMC202 com uma proposta de “básico e bem feito”, por pouco mais da metade do preço de uma Scarlett. O modelo UMC202/UMC204 grava em 24-bit/96kHz, enquanto que a UMC22 (baratinha) suporta apenas 16bit-48Khz de resolução.

Recomendo que você parta para esse modelo, mais poderoso, UMC202 que dá suporte ao 24-bit/96kHz, que vai ajudar você a eliminar as distorções harmônicas das suas gravações.

Esse modelo UMC202 está equipado com os pré-amplificadores MIDAS que são conhecidos por sua alta qualidade.

Ambos os modelos de interface de áudio são bastante populares e isso é muito bom! Quanto mais gente usando um hardware, mais oportunidades de corrigir bugs e desenvolver melhorias. O que acontece em numa velocidade menor em equipamentos mais caros, com um público bem restrito. Sendo assim, nem sempre algo que é rotulado como “profissional” está mais desenvolvido que algo que todo mundo usa.

Boas gravações!

Uma dica extra do Rodrigo: Saiba como eu montei o meu estúdio de gravação musical e consegui gravar as minhas mais de 40 músicas sem gastar fortunas com equipamentos e softwares caros.

Confira o vídeo exclusivo que eu preparei pra você!

QUERO VER O VÍDEO!

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.