microfone felpudo

Se você assistiu a algum documentário do Discovery Channel, provavelmente já viu aqueles microfones de vara felpudos que são utilizados para capturar os sons dos mais diversos animais selvagens. Hoje nós vamos descobrir o porquê desses microfones serem tão peludos, a ponto de parecerem com pequenos animais. Vamos lá?

Você está lá assistindo ao seu documentário favorito pela TV e de repente, aparece um mega microfone monstro felpudo, no campo de visão da câmera. Então, você pode pensar que de alguma forma aquele microfone está tentando se proteger do frio. O que não pode ser verdade, porque podemos vemos esses microfones felpudos até mesmo em gravações em pleno deserto do Saara. Desse modo, não tem nada a ver com o frio, todo aquele felpo ao redor do microfone.

Comparando os Microfones de Vara Boom Felpudos com Microfones para Estúdio

microfone estudio gritoOutro fato interessante, é que não vemos esse tipo de microfone felpudo dentro do estúdio de gravação. Se você está lembrando do microfone de estúdio de gravação, percebe que eles também têm uma aparência peculiar.

Aqui podemos ter alguma pista do porquê daqueles microfones dos documentários selvagens, serem tão peludos. Parece que é mesmo uma questão de finalidade de uso do microfone.

Calma, eu vou logo dizer o porquê desses microfones serem tão felpudos.

Os microfones de estúdio são preparados para gravar vocais e todos os microfones de vocais são muito semelhantes uns aos outros. O mesmo ocorre com aqueles microfones feitos para captar instrumentos distintos, como a bateria, ou mesmo para microfonar o cubo da guitarra.

Para Que Servem Os Microfones Felpudos Afinal?

leao savanaO grande segredo dos microfones felpudos é que eles são ótimos para capturar áudio em áreas abertas, como no meio da floresta ou nos campos. Por exemplo, quando estão tentando capturar o áudio dos leões deitados na savana. O ganho desses microfones também é bastante avultado e isso seria algo terrível, se não fosse por aquela proteção felpuda ao redor do microfone, que é chamada de “tela de vento” ou como é carinhosamente apelidada: “gato morto” (deadcat). Lógico que precisamos imaginar um gato siamês ou angorá, para ter o pelo assim, tão felpudo...

Claro, não apenas o “gato morto” entra para proteger o áudio da nossa gravação dos “danosos ruídos” causados pelo vento nas áreas abertas. Temos também o “rato morto” (dead mouse), que é aquele pequeno invólucro de espuma que envolve o microfone de lapela.

Nos microfones de estúdio, temos o “filtro anti-pop”, que é apenas uma tela em forma de disco, posicionada entre o vocalista e o diafragma do microfone.

Em resumo, a proteção “gato morto” é o que garante que os leões tenham o som perfeito, quando você assiste aos documentários do Discovery Channel. Ainda existem alguns microfones com anteparos parabólicos, capazes de capturar áudio à longas distâncias.

O fato é que para cada problema de áudio, existe uma solução técnica distinta. Depois disso, você nunca mais verá os microfones felpudos, com a mesma inocência de antes. Certo?

Uma dica extra do Rodrigo: Se você deseja aprender Como Montar o Seu Estúdio de Gravação Musical, de Alta Qualidade, Sem Investir em Equipamentos Caros, recomendo que confira esse vídeo agora mesmo.

QUERO VER O VÍDEO