Um exemplo de microfone é um transdutor, um dispositivo que muda o som de uma forma para outra. o som existe como padrões de pressão de ar, as mudanças deste, são captadas pelo microfone e transduzidos em padrões de corrente elétrica.

Microfones variam muito em qualidade. Um microfone estúdio de gravação topo de linha pode custar muito dinheiro e em muitos casos, eles são necessários para as gravações terem boa qualidade.

Agora, se você deseja aprender mais a fundo sobre esse assunto, recomendo que você confira esse link...

Uma variedade de técnicas mecânicas podem ser usadas na fabricação de microfones.  Os dois melhores encontrados em estúdios de gravação são o magneto-dinâmico e o condensador variável.

Todos os microfones convertem a energia sonora em energia elétrica, mas existem muitas maneiras diferentes de fazer o trabalho, usando eletrostática, eletromagnetismo, efeito piezo-elétrico, ou mesmo através de uma mudança na resistência dos grânulos de carbono.

Quando se trata de microfones usados em estúdios de gravação, a grande maioria dos microfones usados são capacitores, eletrostáticos, ou dinâmicos.

Ambos os tipos empregam um diafragma que se deslocam para capturar o som, mas fazem uso de um princípio elétrico diferente para converter a energia mecânica em um sinal elétrico. A eficiência desta conversão é muito importante, porque os montantes de energia acústica que vozes e instrumentos musicais produzem é  pequeno.

 

Diferentes Tipos de Microfones Utilizados em Estúdios de Gravação

No som ao vivo, quase todos os microfones utilizados são dinâmicos. No estúdio, instrumentos como bateria, guitarras, baixos são gravadas utilizando microfones dinâmicos. Os microfones dinâmicos têm a vantagem de ser relativamente baratos e duráveis, e eles não precisam de uma fonte de alimentação ou bateria para fazê-los funcionar.

Os microfones dinâmicos são mais eficazes quando se trabalha com fontes de som que não contenham uma grande quantidade de detalhes em alta frequência. Eles são também usados para gravação de instrumentos que produzam sons muito fortes.

Outro tipo de microfone dinâmico é o microfone de fita, mas isso só é usado em aplicações de gravação razoavelmente esotéricos por engenheiros que apreciam as sutilezas do som de fita.

Estes microfones são constituídos por uma fita metálica fina e suspensa em um campo magnético, e quando a energia sonora é encontrada, o sinal elétrico gerado é induzido à fita em si em vez de uma bobina. A principal vantagem dos microfones de fita é o seu som suave e detalhado, o que os torna perfeito para o ambiente de estúdio.

Os microfones capacitores são mais caros do que as contrapartes dinâmicas, e eles também são muito mais sensíveis, e pode capturar detalhes de alta frequência com muito mais precisão. Mesmo que ele seja relativamente eficiente como os microfones dinâmicos.

Microfones condensadores produzem um pequeno sinal elétrico que exigem um tipo especial de pré-amplificador embutido, para levar o sinal até níveis utilizáveis. Assim, eles não estão aptos para serem usados em concertos ao vivo, ou concertos ao ar livre. Capacitores são usados principalmente em estúdios de gravação onde há menos ruído.

 

Conclusão

O microfone é umas das partes mais importantes do equipamento. Encontrado em tudo, de telefones, computadores a estúdios de gravação, os microfones são parte de nossa vida diária. Um estúdio profissional irá acumular uma vasta coleção de microfones. Os estúdios de topo usam microfones tais como: Shure SM58S e 57s, D112s AKG ou Sennheiser 421S.

 

 

 

 

Uma dica extra do Rodrigo: Se você deseja aprender como montar o seu estúdio de gravação musical, de alta qualidade, sem investir em equipamentos caros, recomendo que confira esse link agora mesmo.